As atuais credenciais dos detetives particulares

Tempo de leitura: 1 minuto

A atividade do detetive particular é itinerante e mescla trabalho interno e externo, em horários tanto de dia, como a noite e madrugada. É indispensável que o detetive possua uma credencial, para poder se identificar perante os clientes e autoridades, pois ter que portar cópia de certificado é uma situação que não agrega nenhuma praticidade.

O que deve ser combatido, não são as identificações sérias, as que comprovam a referência de formação do detetive particular ou da associação que o profissional faz parte; devem ser coibidas as que tem por objetivo induzir a população a erro, as que confundem os clientes e desrespeitam as autoridades constituídas. Estas sim, que são emitidas e portadas por aventureiros, não profissionais da investigação particular e sim criminosos, os quais a classe de maioria séria, busca na forma da lei, expurgar do mercado nacional. São aquelas com o brasão da república (Armas da República) e que também usam nomenclaturas assemelhadas com as das forças policiais. Isto não pode ser tolerado. Dentro da licitude, são permitidas as credenciais/ identificações com a terminologia detetive privado, investigador privado/ particular, detetive particular, detetive profissional e demais análogas.

O verdadeiro detetive particular jamais deseja se passar por policial ou agente público e sim realizar as investigações particulares/privadas de forma livre, lícita e eficaz.  Como já narrou o Presidente da ANADIP do Brasil – Associação Nacional dos Detetives e Investigadores Privados do Brasil, detetive Luiz Gomes, “a principal característica do detetive particular é a discrição”.

Nós, detetives particulares do Brasil, sérios e com experiência, mesmo os iniciantes na atividade, apenas desejamos que nossa classe jamais seja manchada por supostos detetives e sim que cada vez mais colegas se unam a nós, na luta por cada vez mais vitórias para nossa indispensável atividade no mundo moderno.

Comments

comments

4 Comentários


  1. Olá nobres sem respaldo legal da Polícia Federal não somos Nada e digo mais isso é uma fábrica de dinheiro essas escolas estou pensando sério em abri uma associação também e faturar quem sabe uns 15 mim por ano está bom a 100 reais por anuidade gente acordado e olhos abertos escolha bem a sua escolha na hora de realizar seu curso e lembrando ninguém é obrigado a fazer parte de associação ou sindicato nen um , qualquer pessoa vai ao cartório e solicita uma ficha de responsabilidade por seus atos e tem a informação de qualquer cidadão.

    Responder

  2. Bom dia sou detetive fiz o curso na escola padre Reus em Rio Grande do sul so que não estou esercendo minha profisao mais eu tenho vontade de exercer so que eu tenho medo de não dar certo

    Responder


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *