De olho na lupa

Grampo no Whatsapp. Uma prova ilegal?

Grampo no Whatsapp. Uma prova ilegal?

menos de 1 minuto A notícia de que o governo teria grampeado terroristas no Whatsapp trouxe alguns questionamentos para mim. O primeiro, e talvez mais óbvio é: e o Whatsapp pode ser grampeado? Se pode, por que os magistrados ao invés de bloquearem o aplicativo em todo território nacional não autorizam uma interceptação? O segundo questionamento é: o grampo no Whatsapp é prova válida? O questionamento deste artigo não versa exclusivamente sobre um único caso, mas pretende debater a questão do ponto de vista Continue lendo

Celular espião? Coisa do passado

Celular espião? Coisa do passado

menos de 1 minuto O temor criado por gravações que municiaram delações premiadas fez com que o celular se tornasse malquisto nas reuniões em Brasília. É crescente o número de relatos de encontros entre políticos em que a entrada de smartphones foi proibida. Tirar o terno, para sinalizar que não carrega grampos, também faz parte do novo protocolo pós-Lava Jato. Porém, especialistas em espionagem advertem que as medidas são insuficientes. — Se alguém quiser gravar, vai usar outro método além do celular — diz Continue lendo

Ex-agente do FBI ensina  como entender o comportamento  de alguém

Ex-agente do FBI ensina como entender o comportamento de alguém

menos de 1 minuto Cada pessoa tem sua forma própria de agir, seus gestos e cacoetes comuns. Alguns traços, no entanto, estão relacionados a sua personalidade e são úteis para identificar o que podemos esperar delas. LaRae Quy passou 23 anos como agente da inteligência do FBI e agora se dedica a ensinar o que aprendeu a empresários e empreendedores. a. O colunista da Inc. Justin Bariso, reuniu as dicas de Quy em um texto publicado no site da revista. O passo a passo Continue lendo

Vigiar pessoa por celular é 20 vezes mais barato do que usar agente policial

Vigiar pessoa por celular é 20 vezes mais barato do que usar agente policial

menos de 1 minuto Reproduzimos aqui uma reportagem da Folha, assinada pela jornalista Stefanie Silveira, reproduzindo a lógica do que hoje muito se utiliza em atividade de inteligência e investigação criminal: Monitorar uma pessoa por meio do seu celular é 20 vezes mais barato do que usar um agente policial e um carro para seguir o suspeito. É o que diz uma pesquisa realizada nos EUA por dois consultores de segurança. O trabalho comparou os custos do monitoramento de pessoas utilizando formas “tradicionais”, como Continue lendo

Robert Muggah: “O governo brasileiro não é inocente quando o assunto é espionagem”

Robert Muggah: “O governo brasileiro não é inocente quando o assunto é espionagem”

menos de 1 minuto O acesso em massa à tecnologia acelerou a demanda e a troca de informação e transformou as relações sociais entre os cidadãos, seus representantes e o setor privado no Brasil. Por outro lado, abriu espaço a crimes difíceis de contornar: roubo e divulgação de dados, espionagem, pedofilia, desvio de dinheiro e tantos outros passíveis de versão digital. Grupos de Segurança e Resposta a Incidentes (CSIRTs) indicam que, desde o início dos anos 2000, 75% dos usuários brasileiros foram vítimas de Continue lendo

Projeto de lei prevê prisão para quem filmar, fotografar ou “captar a voz” sem autorização

Projeto de lei prevê prisão para quem filmar, fotografar ou “captar a voz” sem autorização

menos de 1 minuto E o grampo? Corre na Comissão de Ciência e Tecnologia projeto que prevê prisão por até dois anos para quem filmar, fotografar ou “captar a voz” sem autorização. Pela proposta de Veneziano Vital do Rêgo (PMDB-PB), quem divulgar também irá preso. Calma lá O relator do projeto, Fábio Sousa (PSDB-GO), sugeriu que não haja pena em alguns casos, como notícias jornalísticas e denúncias de atos ilícitos. Sem o remendo, gravações como a de Sérgio Machado seriam vedadas. Fonte: Painel

A prova ilícita e o seu conteúdo

A prova ilícita e o seu conteúdo

menos de 1 minuto Questão de difícil compreensão no âmbito do processo penal por pessoas leigas e, até mesmo, por técnicos que labutam em outros ramos do direito, gira em torno da prova ilícita, mormente, em relação ao conteúdo desta. Tal fato chega a ser motivo de ironia por profissionais de outros ramos do Direito, que não conseguem compreender as situações relativas ao Direito Penal a partir de categorias próprias e elementares do processo penal. A proibição de utilização de provas ilícitas é expressa Continue lendo

Aparelho de escuta é encontrado no gabinete de Ministro do STF

Aparelho de escuta é encontrado no gabinete de Ministro do STF

menos de 1 minuto BRASÍLIA — A Secretaria de Segurança do Supremo Tribunal Federal (STF) descobriu um aparelho próprio para realizar escuta ambiental dentro do gabinete do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF). O equipamento foi descoberto há cerca de duas semanas, durante uma varredura de rotina feita nos gabinetes dos ministros. O material estava desativado e foi encontrado dentro de uma pequena caixa, debaixo da mesa do ministro. Não se sabe há quanto tempo o aparelho estava no local. O Continue lendo

A privacidade está morta e enterrada

A privacidade está morta e enterrada

menos de 1 minuto A privacidade, como conhecemos até bem pouco tempo, está morta e enterrada. Essa foi a polêmica lançada pelo Desembargador Dr. Ronaldo de Andrade, Tribunal de Justiça de São Paulo – TJ/SP, durante a sua participação no Seminário Políticas Públicas& Negócios, realizado pela Brasscom, em Brasília. “Nós temos a nossa intimidade preservada. Aquela que não colocamos no facebook, no twitter, no WhatsApp. Hoje para entrar num prédio é preciso tirar foto, colocar digital. Há muitas câmeras de seguranças e de trânsito. Continue lendo

Empresas brasileiras monitoram o tráfego e a navegação dos funcionários

Empresas brasileiras monitoram o tráfego e a navegação dos funcionários

menos de 1 minuto Monitorar por onde navegam os funcionários quando estão na internet é prática comum nas empresas brasileiras. Ou assim demonstra a pesquisa TIC Empresas, divulgada nesta segunda, 16/5, pelo Cetic.br, o braço de estudos e pesquisas do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br). Na verdade, quanto maior o porte da empresas, maior a possibilidade de que o uso da internet seja vigiado. Na média, 35% das empresas monitora o tráfego de dados e 43% os sites visitados, sendo Continue lendo