Como é feita uma investigação conjugal?

Tempo de leitura: 3 minutos

A complexidade dos relacionamentos atualmente faz com que as desconfianças e suspeitas sejam mais comuns, principalmente devido aos indícios relevados pelo uso do celular. Dessa forma, uma das demandas mais frequentes dos detetives particulares é a investigação conjugal.

A investigação conjugal pode ser solicitada quando o parceiro (a) possui qualquer suspeita em relação à companheira (o), pois devido ao sigilo do processo investigativo, ela nunca saberá dessa contratação a menos que relevado pelo próprio marido ou namorado.

Saiba como funciona esse tipo de investigação e quando ela pode ser solicitada.

Quais as etapas da investigação conjugal?

A investigação conjugal tem início com a assinatura do contrato de prestação de serviço no qual a agência de detetives particulares deve apresentar quais os detalhes do caso, métodos usados, tipos de provas que serão coletadas, custos relacionados e meio de pagamento.

Nesse primeiro encontro entre cliente e detetive também é indicado que sejam apresentadas algumas informações iniciais sobre o investigado, como rotina, suspeitas, modelo e placa do carro, nome e foto.

A partir desses dados e da assinatura do contrato, o detetive particular terá a estrutura necessária para iniciar a investigação conjugal.

Pesquisa inicial

A pesquisa inicial realizada pelo detetive tem como base às informações passadas pela cliente e consiste em identificar dados online, como nas redes sociais, que contribuam para afunilar as buscas, direcionando os esforços para atividades ou amizades suspeitas.

Monitoramento

O monitoramento pode ser realizado seguindo o investigado durante o dia, utilizando um GPS ou software espião no smartphone que sejam implantados pelo cliente. O monitoramento pode durar entre uma semana e 10 dias, período médio que demora para que uma pessoa encontre o amante quando há um caso extraconjugal fixo.

Coleta de provas

Assim que o investigado adotar um comportamento suspeito ou que mereça ser capturado, o detetive particular estará à espreita para realizar a filmagem ou tirar fotos do flagrante, coletando diferentes tipos de provas que auxiliem na resolução da questão, como fotos, vídeos, áudios, mapa de monitoramento, entre outros.

Relatório final

O relatório final é apresentado ao cliente com todas as provas coletadas durante o período de investigação. Destaca-se que as provas são obtidas de maneira legal, de forma que elas podem ser usadas em uma disputa judicial, quando necessário.

O relatório final é um documento obrigatório em uma investigação conjugal, pois é ele que permite sistematizar e apresentar de maneira clara e concisa os resultados do serviço para o contratante.

Quando contratar um detetive particular?

Uma investigação conjugal pode ser solicitada em diferentes casos para esclarecer uma dúvida de traição. Diferentemente do que algumas pessoas pensam, o sigilo desse processo garante que, caso nada seja encontrado, o parceiro nunca saiba sobre a contratação do serviço.

Dessa forma, a estratégia pode ser usada inclusive para melhorar um relacionamento no qual as desconfianças e suspeitas não ter permitido um bom convívio conjugal. A escolha do que fazer após a revelação da verdade é inteiramente do cliente, de forma que uma decisão consciente possa ser tomada com conhecimento de todos os fatos.

A investigação conjugal deve ser realizada por um detetive particular especializado, pois ele possui o domínio das técnicas e dos equipamentos necessários à execução desse serviço.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *