Curso Superior de Graduação em Investigação Profissional para habilitação de detetive da UNINTER será uma FRAUDE?

Tempo de leitura: 3 minutos

Foi com verdadeiro espanto que recentemente li uma mensagem com forte teor de indignação num conhecido site de reclamações (Reclame Aqui), onde uma pessoa que se inscreveu no tão sonhado e comentado novo Curso Superior de Graduação Tecnológico em Investigação Profissional para habilitação de detetive promovido pela UNINTER, também conhecida como uma das principais entidades de ensino do País na modalidade EAD, destilou toda sua revolta e indignação ao descobrir que o tal curso superior NÃO É RECONHECIDO PELO MEC, conforme alardeado aos 4 ventos. Pasmem!

O anúncio sobre o inédito curso superior de graduação em investigação profissional de habilitação para detetive foi e continua sendo destaque em milhares de jornais, blogs, anúncios, redes sociais e principalmente na roda dos profissionais que já atuam na profissão.

Gato por lebre?

Segundo a denúncia registrada no dia 06/03/2018 no site do Reclame Aqui, a pessoa que se matriculou, após pagar o curso, descobriu um texto disponibilizado no guia do aluno no ambiente virtual do curso, a seguinte informação: ” O curso superior de Tecnologia em Investigação Profissional é um curso experimental, que ainda não existe no Catálogo Nacional de Cursos de Tecnologia do Ministério da Educação”.

Como assim?

É isso mesmo que você acabou de ler prezado leitor!

Lei 13.432/17 não regulamentou a profissão

Com a promessa de que o tal curso iria revolucionar o mercado de investigação profissional no País, tendo em vista a aprovação da Lei 13.432/17, mas que em seu texto nada diz sobre a formação e capacitação profissional dos pretendentes a exercer a profissão de detetive, uma vez que o Art. 3º § 1º, que tratava do assunto foi revogado, a UNINTER por sua vez, tentou passar uma imagem de que o tal Curso Superior Tecnólogo de Graduação  estava em consonância com a Lei 13.432/17, além de dizer ser o primeiro e único curso do gênero reconhecido pelo MEC. A UNINTER chegou a postar um vídeo (Clique aqui e assista ao vídeo) em seu canal do Youtuber onde o seu Vice-reitor Dr. Jorge Bernardi, afirma que a Lei 13.432/17 regulamentou a profissão de detetive particular, o que não é verdade, e quem conhece o texto aprovado da referida Lei sabe disso. Portanto, ou o Vice-reitor da UNINTER não soube interpretar o texto da Lei corretamente, o que por si só já é estranho, ou propositadamente tenta induzir ao erro aqueles que querem ingressar na profissão fazendo um curso de excelência.

Quero acreditar que isso possa ser alguma falha na comunicação com o aluno ou quem sabe o registro como curso superior reconhecido pelo MEC ainda esteja em fase de autorização. Importante ressaltar que a classe dos detetives passa por um momento de mudança importante e cursos como este e outros serão bem vindos para o aperfeiçoamento dos profissionais.

Para não haver dúvidas sobre o fato resolvi então entrar em contato com a UNINTER para esclarecer o assunto em questão, e para minha surpresa, nenhum funcionário soube responder se o tal Curso Superior de Graduação Tecnológico em Investigação Profissional para habilitação de detetive é reconhecido pelo MEC. O chat de atendimento da instituição não funciona e o email enviado não foi respondido já fazem 15 dias.

Com a palavra à UNINTER.

Clique aqui e leia a denúncia do site RECLAME AQUI.

Comments

comments

2 Comentários


  1. Boa tarde a todos! Eu sou o Detetive Arnaldo Silva, formado pelo INSTITUTO DE INTELIGÊNCIA E INVESTIGAÇÃO-INVESTIG parceira com o IPÊ Instituto Padre Réus, e concordo com o Sr. Detetive Luís Gomes, e espero que a Polícia Federal seja o nosso fiscalizador e que esse projeto de sua autoria que está na Câmara dos deputados seja aprovado um dia obrigado a todos vocês pela atenção.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *