Investigador particular diz ter visto Madeleine McCann no Paraguai

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Um investigador particular afirma ter visto Madeleine McCann — a garota britânica desaparecida de um hotel português aos 3 anos de idade em 2007 — no Paraguai. Ela estaria vivendo na cidade de Aregua, próxima a Assunção, sob a custódia de uma mulher há cerca de dois meses, segundo disse o detetive Miraz Ullah Ali à imprensa. Autoridades paraguaias, no entanto, afirmam não ter informações sobre o paradeiro da menina que é procurada pelos pais há quase nove anos.
A recente declaração do investigador desencadeou o reforço nas buscas pela menina, que sumiu do quarto de um hotel da Praia da Luz enquanto seus pais saíram para jantar. Uma divisão anti-sequestro, quatro unidades de polícia e a Interpol foram atividas na procura por alguém preencha a possível descrição física atual de Madeleine — hoje com 12 anos.
— Estamos investigando bairros, vilas e condomínios com cidadãos estrangeiros para ver se há alguem com uma descrição similar que corresponda aos recortes de jornal. — disse o comissário da polícia local Sanny Amarilla. — Esta notícia se estende por todo o mundo e é muito importante. Se elas estiverem na área, precisamos encontrar esta menina e devolvê-la à sua família.
Já representantes da Interpol no Paraguai afirmaram à agência EFE que não terem recebido informações concretas sobre as declarações do investigador. Outras autoridades da polícia local dizem que Ali tem se envolvido no caso mundialmente conhecido apenas para conseguir visibilidade.
Os pais de Madeleine afirmam que estão cientes das declarações do detetive, em mais um episódio da sua intensa busca internacional pela filha perdida durante uma viagem da família a Portugal. Eles se recusam a desistir de encontrar Madeleine e, por isso, recebem mensagens de apoio de muitas pessoas pelo mundo.

Fonte: Jornal Extra

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *